Foco na prática: como minimizar distrações, segundo a neurologia

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Aqueles que se concentram conseguem produzir muito mais, mas o foco na prática é outra coisa.

Alguns obstáculos na vida de quem quer (e precisa) trabalhar, estudar ou até mesmo praticar um hobby são as distrações, principalmente na era do home office.

A habilidade de manter a concentração também é quase um super poder para você? É possível dizer que você não está sozinho: segundo um estudo feito pela Rescue Time, 40% dos profissionais do conhecimento nunca conseguem manter o foco por 30 minutos completos durante o trabalho. 

Já que a habilidade de focar pode definir como é a nossa produtividade, é importante conhecer como a mente funciona para, assim, poder tomar controle da situação e evitar os empecilhos para sua concentração. Veja as dicas abaixo!

1. Alinhe seu trabalho a um objetivo claro

Desenvolver o foco não é fácil: leva tempo, esforço e concentração ativa. Isso significa focar em algo que temos que nos convencer de que vale nosso esforço e atenção.

Para fazer isso, uma dica é entender como isso se relaciona com um objetivo claro que temos em mente.

Quanto mais uma atividade está enraizada em um objetivo que queremos alcançar, mais fácil se torna para o seu cérebro entender a importância dessa atividade.

É por isso que muitos procrastinadores só conseguem entregar os trabalhos na última hora, motivados pelo gatilho da falta de tempo. Você é um deles?

2. Elimine, depois escolha

Você pode não perceber, mas a maioria das suas escolhas de direcionamento de foco na prática acontecem por meio da eliminação. 

Frequentemente, ao visualizar a lista de coisas que precisamos fazer, consideramos o que parece mais interessante ou urgente. Há uma etapa faltando nesse processo.

Antes de escolher o que focar, é importante eliminar o que não é digno do nosso foco.

O processo de remoção de atividades que não justificam nossa concentração nos obriga a definir prioridades e estreitar o escopo de trabalho. 

Resumidamente, esse processo força decisões para definir o que importa e o que é uma distração, reduzindo o punhado de pensamentos que competem por atenção em nossa mente.

Este já é um primeiro passo para se concentrar melhor, em vez de simplesmente escolher algo para trabalhar.

3. Comece antes de focar

Não importa o quão boa é a nossa capacidade de foco na prática, sempre teremos dificuldades para nos concentrar no início de um projeto ou sessão de trabalho.

Isso acontece porque quando nosso cérebro identifica uma atividade como “chata de fazer”, vai redirecionar sua energia para evitar o que deve ser feito (e é aí que a procrastinação aparece).

Apenas comece, por mais que seja difícil ou você não tenha motivação suficiente. Acredite, essa sensação vai desaparecer quando você redirecionar seu foco para a atividade que deve fazer.

Se esperarmos estar focados para começar nosso trabalho, vamos procrastinar para sempre.

Em vez disso, comece e encontre o foco à medida que avança.

Pense nisso como uma câmera fotográfica: quando apontamos a lente para algo pela primeira vez, é provável que o objeto não esteja em foco. Mas, esse ponto de partida nos dá a capacidade de aprimorar e, gradualmente, focalizar a imagem da maneira que você quiser.

O foco não leva à ação, a ação leva ao foco.

4. Reconheça o que está contra você

O mundo ao nosso redor é projetado para nos distrair e interromper. Tudo, desde redes sociais a escritórios, entretenimento e publicidade, são distrações especificamente planejadas para roubar nossa atenção.

Não é à toa que é tão difícil se concentrar. Devemos reconhecer isso e assumir o controle de nosso próprio mundo para melhorar nosso foco.

Quando chegar a hora de focar, podemos desligar nosso smartphone, fechar a janela do e-mail, desligar a TV e sair do escritório, se precisarmos.

Outra dica é usar a versão web das redes sociais, já que os desenvolvedores têm menos liberdade de fazer modificações de layout que as tornam cada vez mais viciantes.

Lembre-se que o foco na prática não é nada além de uma questão de treino. Nossa capacidade de se concentrar é algo que trabalhamos e desenvolvemos, assim como um músculo.

O importante é não desistir. Nessa jornada, também é essencial poder contar com a ajuda de um planejamento bem feito, que ajude a estabelecer o melhor momento para as pausas e sprints de foco.

Para entender melhor como montar um planejamento perfeito, de acordo com a ciência, não deixe de ler este artigo no nosso blog!

SEGUNDA COM A SETTA

Comece sua semana recebendo nossa newsletter com os melhores hábitos e dicas sobre organização, produtividade e bem-estar.


Outros posts